Vivendo em Bologna – I

0 Comment

AEstou há algum tempo (cinco meses, para ser mais exata) pensando sobre escrever na cidade que hoje eu chamo de casa, porém, entre a mudança, a tentativa de se estabilizar e as correrias do dia a dia acabei não conseguindo. Eu sempre quis estudar/morar fora, porém, os meus planos sempre se voltaram a opções mais “comuns”, digamos assim.

Nunca pensei em estudar na Itália e Bologna entrou no meu radar por puro acaso (mais para frente vou fazer um texto específico sobre estudar fora e como escolher o lugar ideal pra você). Porém, aqui estou eu, finalmente. Por ser uma cidade com muitos aspectos gastronômicos, culturais e históricos, um único texto não seria o suficiente para abordar todos de maneira completa. Então, vou começar falando sobre a cidade de um modo geral e, então, vou trazer mais informações pouco a pouco.

Essa vista linda você só vê depois de subir as escadas infinitas do Santuario di San Luca|Foto: Sttela Vasco

Considerada a maior cidade da região da Emília-Romagna, Bologna é uma cidade majoritariamente universitária – isso porque nela temos a Universidade de Bologna, a mais antiga da Europa, fundada em 1088! – e a vida nela gira muito em torno disso.

Com aproximadamente 400 mil habitantes (o número é um pouco flutuante justamente por conta dos estudantes), Bologna é conhecida pela sua ótima gastronomia (o que não é nenhuma surpresa, afinal, Itália), por seu tom avermelhado que predomina na arquitetura local e por seu estilo de vida mais cosmopolita.

Quando eu cheguei, confesso que fiquei bastante impressionada. Ao se afastar do centro, toda a efervescência da parte universitária da cidade fica para trás e o aspecto que se tem é de uma cidade pacata do interior.  Isso, aliás, é uma das coisas que eu mais gosto daqui. Essa mistura de cidade grande e pequena, a possibilidade de vivenciar um pouco dos dois.

A Piazza Netuno, com a estátua do deus Netuno, é um dos principais pontos turísticos da cidade|Foto: Sttela Vasco

Chegar em Bologna é relativamente fácil. Você pode vir com avião, pousando no aeroporto Guglielmo Marconi ou vindo por trem até a estação Bologna Centrale – aliás, o interessante dessa estação é que ela tem uma gama de destinos bem grande e é um dos pontos fundamentais das linhas férreas aqui na Itália, logo, leva a quase todo canto.

Nos próximos posts, pretendo mostrar um pouco mais sobre o que eu descobri aqui, a gastronomia, as livrarias, os pontos turísticos. Por ora, posso dizer que me apaixonei por Bologna.

Apesar do nosso começo difícil – vou falar sobre isso mais para frente – eu me encantei pela cidade e, como digo sempre, cada vez que viajo para outros lugares da Itália percebo o quanto eu gosto daqui.

Arrivederci!

Foto em destaque na página: Thaddaeus Lim

Vista parcial da Piazza Netuno | Foto: Sttela Vasco

0 Comments

Leave a Comment