Viagem de inverno: Dicas de Bariloche

0 Comment

O inverno é maravilho, época de chocolates fumegantes, cobertor fofinho, muitas séries no Netflix. Mas também tem aquelas pessoas que adoram pegar um avião e passar a temporada no frio com temperaturas negativas e muita neve. Foi o que eu fiz ano passado: passei uma semana de agosto em Bariloche. O ar cortante de -2ºC me dava um sorriso no rosto e bom, apesar de não ter muita neve, passei dois dias nas montanhas (que por lá se chamam Cerros) e sim, lá tinha neve – e diga-se, foi meu primeiro contato com os minúsculos flocos de gelo que caem do céu. 

Mas vamos às informações que importam: Bariloche fica na Argentina, encostada nos Andes e os voos até lá duram cerca de 4h saindo de São Paulo. A temporada oficial de inverno começa em meados de junho e vai até fim de agosto, inclusive é o melhor mês para ir, pois não coincide com as férias escolares. Prepare as malhas de lã, os cachecóis, casacos e botas, serão necessários para curtir e se proteger do frio maravilhoso que faz nas cidades patagônicas! 

Vou começar o relato destacando o ponto alto, meu lugar favorito: Villa la Angostura – Essa cidade, que fica a uma hora e meia de Bariloche, é um pequeno sonho no meio das montanhas, é o que eu esperava viver diariamente. Com uma única rua central, casinhas de madeira e lojas locais, Villa la Angostura foi um dos lugares mais lindos que eu já visitei na vida. Foi na Villa la Angostura que também que encontramos artesanatos e produtos locais. Pantufas de lã, duendes, pratinhos de cerâmica. E com certeza a cidade que vou me hospedar quando voltar para lá.  

Na mesma cidade é possível visitar o Parque Nacional Los Arrayanes, com paisagens remotas, bem parecidas com fiordes nórdicos, que dão aquela vontade de passar o dia sentada na areia vulcânica preta, só olhando o lago. Na mesma região fica o Cerro Bayo um dos points de esqui da cidade. Na alta temporada de inverno, o espaço reservado para os turistas que não esquiam é muito maior que no Cerro Catedral (o mais popular), portanto vale muito a pena, é mais longe, mas garanto que você vai se divertir muito mais! Passamos uma tarde inteira na montanha, experimentando neve real, fofinha e mágica. Deu, inclusive, para fazer ski bunda, já que seria bem difícil esquiar de verdade (um sonho que ainda preciso realizar). Bem estruturado, o Cerro Bayo possui restaurante no topo, onde você pode sentar na varanda, ver os esquiadores descendo a montanha enquanto toma uma cerveja bem gelada. 

El Boliche del Alberto 

Para muitas pessoas Argentina é sinônimo de churrasco (me desculpem vegetarianos). Os melhores cortes, os melhores preparos, sempre acompanhando das papas fritas. Em Bariloche o point da carne é o El Boliche del Alberto, que possui vários restaurantes na cidade. E o melhor: você come muito bem e paga pouco, quando fui, deu cerca de R$50 por pessoa, por carne de excelentíssima qualidade! Eles também têm uma unidade que serve apenas massas e bom, os caras entendem de comida. 

Locais: 

  • PARRILLAS (Churrasco) 

Elflein 158 | Villegas 347 |Av. Bustillo km 8,8 

  • PASTAS (Massas) 
    Mitre 601 | Elflein esq Villegas 

 

Rapanui 

Rapaui são aqueles bonecos de pedra da Ilha de Páscoa, mas em Bariloche deve ser, atualmente, a principal fabricante do chocolate da região. Eles têm megalojas em vários locais (inclusive já possuem filiais em Buenos Aires). A loja de Bariloche conta com restaurante, lanchonete, confeitaria, loja e até com uma pista de patinação. Eu almocei lá um dia, apesar de não ser tão barato, é uma delícia, principalmente os doces.  Mas a parte da lanchonete conta com opções mais simples e baratas, com empanadas.  

Local: Mitre 202, esq. Villegas 

Cerâmica Bariloche 

Os famosos pratinhos com flores coloridas estão nessa loja. Na parte mais movimentada da Mitre, ela tem uma vitrine bem singela, mas só entrar na loja que você vai querer comprar tudo. E se quiser uma lembrança bem típica, esse é o lugar! 

Local: Mitre 112 -8400 San Carlos de Bariloche 

Arbol 

É uma enorme rede de roupas, principalmente de frio. Queria disponibilizar um site, mas eles vivem no old style e ganham com as lojas físicas, que são uma atração à parte. Vi uma loja em Villa la Angostura, mas tem uma unidade enorme em Bariloche. Nessa loja é possível encontrar produtos bem feitos, que vão desde malhas de lá, até casacos impermeáveis, cachecóis, luvas e muito mais. Inclusive comprei essência para colocar nas roupas, porque a marca já atraia pelo cheiro das roupas.  

Local: Mitre 263 

Cueros del Sur 

Eu fui para Bariloche sabendo que encontraria várias lojas com malhas de lã lindas. Minha surpresa foi chegar lá e encontrar apenas uma loja que vende as malhas originais. Um pouco mais distante do centro, mas possível de chegar a pé, está a Cueros del Sur, uma loja que produz as próprias jaquetas de couro e malhas de lã, todas feitas com malabrigo, fio natural feito da lã de ovelhas da raça Merino.  

Local: San Martin 127 

Natural Travel 

Essa foi a agência que nos auxiliou em todos os passeios que fizemos. Cristina, que nos atendeu, explicou direitinho como eram os pacotes, inclusive dando dicas de onde consumir ou não. Os guias que nos acompanharam eram excelentes, atenciosos e conhecedores da região. O transporte também era de primeira, minivans limpas e confortáveis, com motoristas responsáveis.  

Local: Mitre 106

**

Mas já aviso para não criar altas expectativas com o que espera da cidade, fisicamente falando. Confesso que imaginei o centro de Bariloche fosse bem mais rústico do que encontrei, o crescimento turístico deixou tudo um pouco “artificial”. Andar pelo Mitre (rua principal) é um misto de lojas de aluguel de roupa de Ski, bugigangas chinesas em 80% das vitrines, malhas acrílicas (também da China) e muitas lojas de chocolate (a melhor parte, foquem no chocolate!). 

Sim, foi meio triste procurar produtos locais, cerâmica, malhas de lã, artesanato no geral e só encontrar xícaras com impressão barata. Por isso indico que você foque sua viagem na experiência de poder provar os melhores chocolates, acordar e ver as montanhas nevadas todos os dias, aliás, devido a posição geográfica de Bariloche, você pode ver o sol nascendo  sem ter que acordar com as galinhas, o evento diário está marcado para 8h30 da manhã. 

Se tiver planejando uma viagem para Bariloche e tiver alguma dúvida específica, nos mande um e-mail e podemos ajudar com algumas orientações. O endereço é contato@cafesimaginarios.com.br 

Cidade
« 1 de 5 »

E logo mais, nas dicas de viagem: Santiago, Valparaíso (ambos no Chile), Buenos Aires (Argentina) e outras dicas de Bologna (Itália). 

0 Comments

Leave a Comment